fbpx
Aspectos Gerais do Envelhecimento

Aspectos Gerais do Envelhecimento

Aspectos gerais do envelhecimento

O envelhecimento é um conglomerado complexo de eventos biológicos que mudam a estrutura e função de diversas partes do corpo.
As alterações mais frequentes do envelhecimento dizem respeito aos seguintes parâmetros:

Acurácia, VELOCIDADE, resistência, estabilidade, força e coordenação.

São evidentes alterações na capacidade respiratória, nos batimentos cardíacos e na condução nervosa.

O envelhecimento diz respeito não somente aos aspectos relacionados a idade cronológica do indivíduo, mas também às questões biológicas.

O processo de envelhecimento é acompanhado de modificações naturais e fisiológicas no organismo e, portanto, não é uma doença que requeira tratamento.

Presbilaringe x Presbifonia

PF

Termo usado habitualmente para se referir ao processo de envelhecimento vocal presbifonia é a voz considerada como típica do idoso.

PL

Termo não usual que se refere a laringe que apresenta características típicas de envelhecimento as quais serão descritas mais adiante.

 

ENVELHECIMENTO LARÍNGEO

Embora exista uma forte relação entre presbifonia e presbilaringe, vale ressaltar que não necessariamente uma presbilaringe proporcionará uma presbifonia e que nem sempre em uma voz considerada envelhecida a laringe terá características tipicamente do Idoso, o que leva a crer que o processo de envelhecimento e suas manifestações são mais complexos do que se imagina.

Com passar dos anos, praticamente não se observa mudanças no epitélio.

A camada superficial da lâmina própria – o espaço de reinke – tende a ficar mais edematoso e espesso.

Observa-se também a atrofia das fibras elásticas da camada intermediária, mais acentuada nas mulheres, deixando essa camada mais fina, o que pode deteriorar o contorno da prega vocal produzindo áreas atróficas na mucosa, semelhantes as imagens de sulco vocal do tipo estria.

A camada profunda por sua vez torna-se mais larga pelas fibras de colágeno ficarem mais espessas e densas.
Em alguns casos ocorre aumento localizado das fibras de colágeno, que passam a ocorrer em diferentes direções, produzindo fibrose.

As fibras do músculo vocal também diminui e atrofia óssea como passar da idade.
Dá-se o nome de presbilaringe ao envelhecimento laríngeo inerente a idade o que gera o envelhecimento vocal chamado de presbifonia.

 

PRESBIFONIA

Sabe-se que o avanço da idade produz mudanças fisiológicas que podem alterar a voz.

Estas mudanças ocorrem em todo o trato vocal pois este nunca para de sofrer modificações desde que o indivíduo nasce.

Entretanto, assim como ocorrem com o envelhecimento em geral, as modificações vocais e laríngeas decorrentes desse processo são muito variadas comparando-se um indivíduo com outro e também se comparando diversos sistemas de um mesmo indivíduo.

O impacto do envelhecimento na voz ocorre de modo paralelo ao de outras funções do corpo.
O início da presbifonia, seu desenvolvimento e o grau de deterioração vocal dependem de cada indivíduo, de sua saúde física e psicológica e de sua história de vida, além de fatores constitucionais, raciais, hereditários, sociais e ambientais.

Deve-se compreender a presbifonia como parte do processo de envelhecimento normal do indivíduo, em uma desordem vocal, embora muitas vezes seja difícil estabelecer um limite sobre o que é o processo normal vocal fisiológico da idade e o que é uma desordem vocal estabelecida.

 

Alterações estruturais laríngeas típicas do envelhecimento:

1. Calcificação e ossificação gradual das cartilagens laríngeas que, como consequência, ao redor dos 65 anos, apresentam-se quase sem nenhuma mobilidade.

2. Atrofia dos músculos laríngeos intrínsecos, o que resulta numa menor eficiência biomecânica de todo o sistema. Observam-se redução na excursão das cartilagens aritenóides, redução da espessura da prega vocal e alterações na qualidade da contratura muscular.

3. Configurações glóticas: arqueamento e atrofia de PV (maior em homens) e edema (maior em mulheres). Fechamento glótico incompleto.

Frequentemente ocorre compensação e hiperfunção supra glótica , na tentativa de diminuir o escape aéreo da fenda glótica . Há também alongamento do trato vocal supra glótico.

4. Mudança na capacidade respiratória com diminuição do fluxo aéreo e decréscimo no tempo máximo de fonação, interferindo assim na pressão subglótica e diminuindo a intensidade vocal.

5. Degeneração de gordura dos tecidos diminuindo a elasticidade de ligamentos

6. Perturbação de jitter e shimmer , evidenciando maior instabilidade e tremores vocais.

Senescência: Período da menopausa e do envelhecimento . A senilidade vocal é mais precoce na mulher e pode apresentar um impacto maior na voz cantada . Ocorre perda de potência e diminuição dos harmônicos em ambos os sexos com a diminuição da extensão vocal.

 

Qualidade vocal do idoso: Preservando a voz

É possível concluir que o profissional da voz que teve sua trajetória de vida profissional, com empenho de um trabalho vocal constante, mantendo a disciplina na realização de exercícios e cuidados com a voz, poderá manter elementos essenciais de beleza, embora não possa exibir a extensão e o grau de controle vocal que estiveram presente quando era mais jovem.

 

Adulto jovem: extensão vocal de 2 a 3 oitavas (30 a 36 st)

Adulto idoso: extensão vocal de 2 oitavas ou menos

 

Trabalho vocal e terceira idade

 

Qualidade de vida e voz

OBJETIVO:

Melhor adequação e velocidade de fala

Melhora na eficiência aérea

Maior estabilidade vocal

Melhor extensão vocal

Aumento da potência e projeção vocal

 

IMPORTANTE!

Todo o planejamento de atividades a serem realizadas com esta população dependerá da avaliação ORL prévia, assim como a avaliação dos parâmetros vocais, que se diferenciam nessa idade.

Sulamita Cali – Fonoáudiologa

Fechar Menu